NOTÍCIAS

Consórcio VLT contesta relatório do governo do Estado

30/06/2016 (07:53)

Circuito MT

O Consórcio VLT-Cuiabá protocolou junto à Secretaria de Estado de Cidades (Secid) um documento depositando no Governo do Estado a responsabilidade pela execução dos reparos em avenidas, reposição de peças danificadas por atos de vandalismo causados por terceiros em todo o período de paralisação das obras de implantação do modal, cujo contrato de execução está suspenso desde dezembro de 2014.

No ofício datado em 02 de junho, o consórcio diz que “cabe ao próprio governo do Estado adotar as intervenções necessárias para correção dos problemas e manutenção das obras e canteiros do VLT” e reivindicou, mais uma vez, a retomada das obras de implantação do veículo leve sobre trilhos.

Foi apontado que o Governo solicitou junto à 1ª Vara da Justiça Federal, em 2015, via Secid uma autorização judicial para que por meio da secretaria fosse viabilizado a realização de obras de restruturação de todos os canteiros e vias públicas ao longo das intervenções feita pelo Consórcio VLT.

Para o Consórcio VLT, o laudo da vistoria e ofício assinado pelo secretário estadual das Cidades, Eduardo Chilleto, expõe verdadeiras contradições na postura do Executivo estadual. A resposta-ofício protocolada pelo Consórcio junto à Secid semanas antes de divulgação feita pela Secretaria junto à imprensa, aparentemente ignorada pelo órgão público, também traz imagens das condições dos canteiros do VLT quando da paralisação das obras.

Tais imagens são reveladoras de que os supostos problemas ora apontados no Ofício não foram causados pelo Consórcio e as intervenções solicitadas, além de intempestivas, não são exigíveis do Consórcio neste momento.

Segundo o Consórcio, as obrigações seguem sendo cumpridas a termo, mesmo sem o pagamento, por parte do governo do Estado, de serviços comprovadamente executados, conforme medições aprovadas pela gerenciadora e pela Caixa Econômica Federal.